. O 4 de Julho

. O ABC da Lealdade

. Viva o 25 de Abril...de 1...

. Mário Soares e a III (ou ...

. A Revolução de 1820

. O Longo Processo de Recon...

. A Maldição dos Primogénit...

. Uma Andaluza à Frente dos...

. A Páscoa

. O Herói dos Heróis

.arquivos

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Outubro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.contador

Terça-feira, 26 de Junho de 2007

Nos 75 anos da Morte do Rei D. Manuel II

 

 

Uma pequena homenagem para um grande português. 1889-1932

 

 

 

publicado por Rui Romão às 14:47
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 8 de Junho de 2007

Na Encrusilhada da Toponímia Portuguesa

Porcalhota, Viana da Foz do Lima e Santa Cruz do Douro. Hoje em dia poucos conhecem estas terras e menos ainda a sua história. Não admira. Os locais existem, mas os topónimos já passaram à história. Sendo a toponímia um importante instrumento de acção política, social e económica, é comum a  substituição de topónimos acompanhar a introdução de novos paradigmas. Foi assim em 1974. A Ponte Salazar passou a 25 de Abril, proliferaram topónimos alusivos aos novos tempos: Rua do MFA, do Proletariado, das Nacionalizações, etc substituindo todos os topónimos ligados ao anterior regime. Já em 1910, tínhamos assistido a um fenómenos semelhante. Quem não conhece a Av / Rua Almirante Reis (ou Cândido dos Reis, é a mesma pessoa), Miguel Bombarda, república, etc., que alternaram com topónimos ligados, directa ou indirectamente, à coroa. No que concerne à toponímia das grandes cidades, a sua raíz é mais difusa e as teorias sucedem-se sem que haja grandes concensos. Olissipo, antepassado remoto de Lisboa, tando pode provir, de acordo com a teoria, do topónimo fenício Alis Ubbo (Baia Serena), como de de Ulissipo (cidade de Ulisses). Outros são mais consensuais. Faro, provém de Harum, príncipe berbere que colonizou aquela região (Mahomed Ben-Said Harum), Porto deriva do seu porto marítimo, que aliás deu nome ao país (Portus Cale).

De regresso aos três topónimos iniciais. Porcalhota era a designação em vigor até meados de 1907  da actual cidade da Amadora.  Os seus habitantes diligenciarem junto do  Rei D. Carlos  por forma a que este outorgasse a alteração do topónimo para outro mais "digno". O soberano encaminhou o assunto para o seu ministro do Reino, João Franco, que despachou favoravelmente. Ironia do destino, a primeira placa com a designação Amadora foi colocada, na estação de caminho de ferro da então Porcalhota, no dia 1 de Fevereiro de 1908, dia do assassinato do Rei.

Viana da Foz do Lima foi, até à Revolta da Patuleia, a designação da actual Viana do Castelo. Face ao descontentamento com o governo do Costa Cabral, o  Conde das Antas tomou a cidade, no entanto deparou-se com uma feroz resistência por parte da população, fiel à Rainha e a Cabral. Em sinal de agradecimento, D. Maria II mudou a designação da vila para Viana do Castelo, o que não deixa de ser curioso uma vez que nunca existiu qualquer castelo naquela região.

Por fim, vamos falar da Tormes de Eça de Queiroz. Na sua obra "As Cidades e as Serras", Eça inspira-se numa quinta que a família de sua mulher possuia em Santa Cruz do Douro. Como forma de homenagem,  foi atribuído ao local o topónimo ficcionado que o prosador lhe atribuiu na sua obra.   

música: História, Afonso Henriques, Toponímia, Porcalhota, Amadora
publicado por Rui Romão às 14:41
link do post | comentar | favorito
|

.D. Afonso Henriques


.

.pesquisar

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.contador

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds