. O 4 de Julho

. O ABC da Lealdade

. Viva o 25 de Abril...de 1...

. Mário Soares e a III (ou ...

. A Revolução de 1820

. O Longo Processo de Recon...

. A Maldição dos Primogénit...

. Uma Andaluza à Frente dos...

. A Páscoa

. O Herói dos Heróis

.arquivos

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Outubro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.contador

Terça-feira, 4 de Outubro de 2011

O Conde de Oeiras

Há uns dias foi notícia a detenção do presidente de Câmara de Oeiras quando se preparava para inaugurar um monumento evocativo do Marquês

de Pombal, por ocasião dos 250 anos do concelho. Foi com 2 anos de atraso (1759-2009) mas a homenagem é justa, e este episódio não deixa de o ser também, ou não fosse o homenageado o homem que mais prendeu neste pais ao longo da sua história. Curiosamente o feriado de Oeiras é a 7 de Junho, dia em o Rei D. José I atribuiu Sebastião José Carvalho e Melo o título de Conde de Oeiras, concedendo foral à nova vila. Esta atribuição de foral é um tanto ou quanto quixotesca (chamam-lhe forais novos) porque no século XVIII as leis que regiam o território já não se traduziam em forais. Assim, e ao contrário do que se verifica em quase todos os municípios, em Oeiras o dia do concelho não alude a nenhum santo, longe disso!

Mas como é que a vida daquele que ficou conhecido na história de Portugal como Marquês de Pombal se cruza com Oeiras. Já li algures que o título lhe foi outorgado pelo seu trabalho na reconstrução de Lisboa, o que me parece um absurdo. Em 1759 tinham-se passado pouco mais de 3 anos após o terramoto pelo que ainda não havia nada reconstruído. A verdade parece-me que é outra. Nesse mesmo ano, no dia 13 de Janeiro, tinham sido executados os Távoras e o Duque de Aveiro no Patíbulo de Belém na sequência da tentativa de regicídio do Rei D. José no local onde hoje está a Igreja da Memória. Curiosamente é nesse local que hoje repousa o próprio Marquês de Pombal. Assim, o Rei ter-lhe-á atribuído o título como agradecimento pelo seu papel no processo Judicial que levou à condenação dos Távoras (dizem os juristas que o processo tem mais buracos do que um queijo suiço) e este não se fez rogado da mercê recebida e encarregou-se de construir um magnífico palácio, onde o próprio Rei, já velho e cansado, terá passado uma temporada e onde Sebastião José pensava acabar os seus dias.´

Não teve ensejo de desfrutar plenamente da sua obra porque com a morte do Rei e a subida ao trono de D. Maria I, os seus inimigos (que eram inúmeros) aproveitaram para se vingar dos vexames que tiveram que suportar durante a sua governação. Foi a política da "viradeira", com novas personagens e um novo estilo de governação. Este processo começou com o desterramento de Sebatião José para Pombal, onde detinha  o título de  Marquês desde 1769 mas que nunca pensou habitar. Aliás, Pombal está mais associada ao Conde de Castelo Melhor (outro grande estadista) do que a Sebastião José. Em Pombal Sebastião José tivera um tio cónego que lhe dera um forte impulso para que o seu sobrinho chegasse à corte (ainda no tempo de D. João V) e talvez por isso D. José resolveu atribuir-lhe o título de Marquês nessa Vila e não em Oeiras. O Marquês de Pobal terá pedido a D. Maria o título de Duque e esta ter-lhe-á respondido que os duques não se faziam, nasciam-se...Neste triste exílio fechou os olhos em 1782, num país mergulhado no caos e a saque por aqueles que tanto contestaram a sua mão firme. Era por isso que nesses dias se dizia em Portugal "mal por mal, antes Pombal".         

publicado por Rui Romão às 08:36
link do post | comentar | favorito
|

.D. Afonso Henriques


.

.pesquisar

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.contador

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds