. O 4 de Julho

. O ABC da Lealdade

. Viva o 25 de Abril...de 1...

. Mário Soares e a III (ou ...

. A Revolução de 1820

. O Longo Processo de Recon...

. A Maldição dos Primogénit...

. Uma Andaluza à Frente dos...

. A Páscoa

. O Herói dos Heróis

.arquivos

. Setembro 2013

. Agosto 2013

. Junho 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Outubro 2007

. Agosto 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Outubro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.contador

Segunda-feira, 9 de Janeiro de 2012

O Vencidismo

Ficheiro:Vencidos da Vida.jpg

 

"Dúzia e meia de ratões que, quando juntos, o que pretendem é jantar; depois de jantar, o que intentam é digerir; e a digestão finda, se alguma coisa ao longe miram, tanto pode ser um ideal, como um water-closet" 

 

Esta frase é da pena de Fialho de Almeida, na sua célebre obra "Os Gatos", onde destila todo o seu veneno sobre este grupo de intelectuais, que se juntaram ocasionalmente entre 1888 e 1891, que deram pelo nome de "Vencidos da Vida". Talvez este seu azedume se tenha ficado a dever a nunca ter sido convidado para integrar o mesmo, mas talvez esta opinião se aproxime bastante do que foram "Vencidos", ou seja um grupo informal, bacante, onde, no meio dos seus jantares generosamente servidos com champagne, se abordavam os problemas do país e do regime constitucional, sem o menor propósito de intervenção. Vivia-se no estertor da fase aurea da monarquia portuguesa-o fontismo- e o sistema rotativista começava a evidenciar sinais claros de desgaste, a que se juntava um enorme défice de ideias e um desinteresse pelo bem comum por parte da classe política. No governo e nas câmaras a mediocridade dos seus protagonistas era a matéria-prima para "O Conde de Abranhos" de Eça.  A sociedade era ultra-conservadora e mantinha-se arreigada a um catolismo castrador do progresso. O sistema de ensino passava ao lado dos progressos científicos e culturais do último quartel do século XIX. No fundo, o país andava a formar "Eusebiozinhos", para utilizar a célebre personagem queirosiana.

Foi perante este status quo que se começaram a formar correntes de opinião a denunciar este estado de coisas, sendo a iniciativa mais conhecida as conferências democráticas de casino lisbonense, interrompidas abruptamente por ordem do governo. Muitos viam a fonte de todos os problemas no regime monárquico, como era o caso de Antero, que chegou a apontar a monarquia e a Igreja Católica como a causa de decadência de Portugal e Espanha. Foi neste periodo que o Partido Republicano se organizou, sendo o centenário de Camões (1880) o momento capital para afirmação das ideias repúblicanas. Outros achavam que o problema não estava no regime monárquico, mas no sistema rotativista, onde progressistas e regenaradores se revezavam no governo através dos caciques locais e de acordos parlamentares baseados em interesses particulares. Foi esta corrente crítica que deu origem  à "Vida Nova" de Oliveira Martins, que mais tarde foi recuperada por João Franco para, sob a égide de D. Carlos, formar a Dissidência Regenaradora, que acabou no banho de sangue do Terreiro do paço.

É neste contexto que se inserem os Vencidos da Vida. Eram um grupo de dandies que jantavam uma vez por semana no "Bragança", e cujas reflexões, pelo prestígio dos seus membros, tinham uma enorme repercussão na sociedade de então. Tinham como orgão quase oficial o diário "O Tempo" cujo proprietário, Carlos Lobo de Ávila, ele próprio um vencido, onde eram escritos os artigos de opinião de vários "Vencidos", embora o fizessem sempre em nome individual.

Do conjunto de artigos, destacaria a réplica de Eça de Queirós à sátira que Bulhão Pato lhe dirigiu, por este se sentir retratado em "Os Maias", na figura do poeta "Tomás de Alencar". Bastaria este artigo para considerar o "vencidismo" um movimento de suma importância!  

publicado por Rui Romão às 08:30
link do post | comentar | favorito
|

.D. Afonso Henriques


.

.pesquisar

 

.Setembro 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.tags

. todas as tags

.contador

.contador

blogs SAPO

.subscrever feeds